Lobices

…meiguices de lobos e não só…

>caminhar

>

caminho por espaços vazios; sem ventos nem ondas de mar ou de areias; caminho por loucas miragens de sonhos que anseias; caminho por calçadas de granito frio; duro, mas dentro dele, como ouro puro, a força da sua própria grandeza; caminho com leveza, por vielas escuras, nuas, de ténue luz duma varanda; caminho por onde não se anda; caminho por rios de água rasa, onde o sol brilha no coração que abrasa; caminho na direcção do nada, onde tudo se apaga num instante de beleza como uma estrela quando morre na sua própria incerteza; caminho sem saber por onde e por mais que procure, não diviso luz; caminho somente porque amo, sem saber porquê, sem saber o porquê, sem saber que a loucura me sufoca e que por detrás desta insana caminhada, estarás sempre tu, mulher amiga, meu amor e minha amada!…

24/09/2004 Posted by | Diversos | 6 comentários

caminhar

caminho por espaços vazios; sem ventos nem ondas de mar ou de areias; caminho por loucas miragens de sonhos que anseias; caminho por calçadas de granito frio; duro, mas dentro dele, como ouro puro, a força da sua própria grandeza; caminho com leveza, por vielas escuras, nuas, de ténue luz duma varanda; caminho por onde não se anda; caminho por rios de água rasa, onde o sol brilha no coração que abrasa; caminho na direcção do nada, onde tudo se apaga num instante de beleza como uma estrela quando morre na sua própria incerteza; caminho sem saber por onde e por mais que procure, não diviso luz; caminho somente porque amo, sem saber porquê, sem saber o porquê, sem saber que a loucura me sufoca e que por detrás desta insana caminhada, estarás sempre tu, mulher amiga, meu amor e minha amada!…

24/09/2004 Posted by | Diversos | Deixe um comentário

caminhar

caminho por espaços vazios; sem ventos nem ondas de mar ou de areias; caminho por loucas miragens de sonhos que anseias; caminho por calçadas de granito frio; duro, mas dentro dele, como ouro puro, a força da sua própria grandeza; caminho com leveza, por vielas escuras, nuas, de ténue luz duma varanda; caminho por onde não se anda; caminho por rios de água rasa, onde o sol brilha no coração que abrasa; caminho na direcção do nada, onde tudo se apaga num instante de beleza como uma estrela quando morre na sua própria incerteza; caminho sem saber por onde e por mais que procure, não diviso luz; caminho somente porque amo, sem saber porquê, sem saber o porquê, sem saber que a loucura me sufoca e que por detrás desta insana caminhada, estarás sempre tu, mulher amiga, meu amor e minha amada!…

24/09/2004 Posted by | Diversos | | 6 comentários