Lobices

…meiguices de lobos e não só…

>fica

>

“…queres partir, é?… não vás ainda… espera aí… ouve-me um pouco: A solidão é um estado de espírito e não um estado físico… nunca estamos sós: temo-nos a nós mesmos como companhia… nada mais fácil do que falarmos com o nosso próprio eu… experimenta apenas um pouco… verás o resultado… depois, o mundo não está no exterior… o mundo somos nós mesmos, nós “criámos” o Universo que quisermos… estar só pode ser o meu Universo preferido desde que essa seja a minha escolha… sair dele… como acto final… deixando-nos cair no chão do silêncio… não, não é opção… de que te vai servir se não saberás o porquê?… é preciso escolher a vida para passarmos a vida a fazer perguntas e esperar pelas respostas; não querendo esperar pelas respostas, então, vamos à procura delas…as respostas estão em nós mesmos… achas que sabes o que é a solidão?… achas?… estás convencido que estás só?… pensas que sabes tudo já sobre a solidão?… estás muito enganado… estive, estou e estarei sempre só mas apenas quando quero; e até sabe bem… mas, quando não quero, escolho não estar só… e parto… parto à procura de respostas… acredita que há sempre uma resposta… há sempre uma porta… há sempre uma janela… há sempre um sítio dentro de nós para abrir e sair para fora da solidão que criámos… nasce… sai do útero onde ainda te encontras… faz o “parto” de ti mesmo e ao saíres da “vagina” que te contém na solidão, grita, esperneia, vive, abre os olhos e sente a vida a pulsar dentro de ti e dentro dos outros… nascer é bom… viver é melhor… morrer?… ainda não… um dia morreremos porque essa é a resposta final, a última, a derradeira… porquê a apressar?… Deixa-a para último lugar… agora… é aqui… é aqui que deves estar… fica, fica mais um pouco… vais ver que não custa…”
Anúncios

16/06/2005 Posted by | Diversos | 11 comentários

fica

“…queres partir, é?… não vás ainda… espera aí… ouve-me um pouco: A solidão é um estado de espírito e não um estado físico… nunca estamos sós: temo-nos a nós mesmos como companhia… nada mais fácil do que falarmos com o nosso próprio eu… experimenta apenas um pouco… verás o resultado… depois, o mundo não está no exterior… o mundo somos nós mesmos, nós “criámos” o Universo que quisermos… estar só pode ser o meu Universo preferido desde que essa seja a minha escolha… sair dele… como acto final… deixando-nos cair no chão do silêncio… não, não é opção… de que te vai servir se não saberás o porquê?… é preciso escolher a vida para passarmos a vida a fazer perguntas e esperar pelas respostas; não querendo esperar pelas respostas, então, vamos à procura delas…as respostas estão em nós mesmos… achas que sabes o que é a solidão?… achas?… estás convencido que estás só?… pensas que sabes tudo já sobre a solidão?… estás muito enganado… estive, estou e estarei sempre só mas apenas quando quero; e até sabe bem… mas, quando não quero, escolho não estar só… e parto… parto à procura de respostas… acredita que há sempre uma resposta… há sempre uma porta… há sempre uma janela… há sempre um sítio dentro de nós para abrir e sair para fora da solidão que criámos… nasce… sai do útero onde ainda te encontras… faz o “parto” de ti mesmo e ao saíres da “vagina” que te contém na solidão, grita, esperneia, vive, abre os olhos e sente a vida a pulsar dentro de ti e dentro dos outros… nascer é bom… viver é melhor… morrer?… ainda não… um dia morreremos porque essa é a resposta final, a última, a derradeira… porquê a apressar?… Deixa-a para último lugar… agora… é aqui… é aqui que deves estar… fica, fica mais um pouco… vais ver que não custa…”

16/06/2005 Posted by | Diversos | 11 comentários

fica

“…queres partir, é?… não vás ainda… espera aí… ouve-me um pouco: A solidão é um estado de espírito e não um estado físico… nunca estamos sós: temo-nos a nós mesmos como companhia… nada mais fácil do que falarmos com o nosso próprio eu… experimenta apenas um pouco… verás o resultado… depois, o mundo não está no exterior… o mundo somos nós mesmos, nós “criámos” o Universo que quisermos… estar só pode ser o meu Universo preferido desde que essa seja a minha escolha… sair dele… como acto final… deixando-nos cair no chão do silêncio… não, não é opção… de que te vai servir se não saberás o porquê?… é preciso escolher a vida para passarmos a vida a fazer perguntas e esperar pelas respostas; não querendo esperar pelas respostas, então, vamos à procura delas…as respostas estão em nós mesmos… achas que sabes o que é a solidão?… achas?… estás convencido que estás só?… pensas que sabes tudo já sobre a solidão?… estás muito enganado… estive, estou e estarei sempre só mas apenas quando quero; e até sabe bem… mas, quando não quero, escolho não estar só… e parto… parto à procura de respostas… acredita que há sempre uma resposta… há sempre uma porta… há sempre uma janela… há sempre um sítio dentro de nós para abrir e sair para fora da solidão que criámos… nasce… sai do útero onde ainda te encontras… faz o “parto” de ti mesmo e ao saíres da “vagina” que te contém na solidão, grita, esperneia, vive, abre os olhos e sente a vida a pulsar dentro de ti e dentro dos outros… nascer é bom… viver é melhor… morrer?… ainda não… um dia morreremos porque essa é a resposta final, a última, a derradeira… porquê a apressar?… Deixa-a para último lugar… agora… é aqui… é aqui que deves estar… fica, fica mais um pouco… vais ver que não custa…”

16/06/2005 Posted by | Diversos | | 11 comentários