Lobices

…meiguices de lobos e não só…

>sem palavras

>

“…quando não encontrámos as palavras, vamos à procura das imagens, de sons, de cheiros, de sabores, de texturas, de gestos, de muita outra coisa que os nossos sentidos nos dão, nos permitem saber coisas sobre as coisas… depois, queremos colocar em palavras escritas as coisas que as coisas nos “disseram” através dos nossos sensores físicos, mentais e quem sabe se não também espirituais… mas, nem sempre encontrámos as palavras certas… e ficámos, como se costuma dizer, de mãos a abanar, neste caso de dedos sem teclar… mas, a verdade é que estou a transmitir por palavras exactamente o que não consigo dizer, logo, estou a escrever e a colocar neste pedaço de espaço-tempo o que não sei descrever… faço-o sem saber como mas sinto prazer… o gosto de dizer que queria dizer e não sei como dizer o que quisera talvez escrever… fico, no mínimo, a saber que haveria sempre algo para ser dito mas que, não o tendo sido, o pedaço de espaço-tempo não ficou vazio; afinal de contas, algo foi escrito…”
Anúncios

26/06/2005 Posted by | Diversos | 24 comentários

sem palavras

“…quando não encontrámos as palavras, vamos à procura das imagens, de sons, de cheiros, de sabores, de texturas, de gestos, de muita outra coisa que os nossos sentidos nos dão, nos permitem saber coisas sobre as coisas… depois, queremos colocar em palavras escritas as coisas que as coisas nos “disseram” através dos nossos sensores físicos, mentais e quem sabe se não também espirituais… mas, nem sempre encontrámos as palavras certas… e ficámos, como se costuma dizer, de mãos a abanar, neste caso de dedos sem teclar… mas, a verdade é que estou a transmitir por palavras exactamente o que não consigo dizer, logo, estou a escrever e a colocar neste pedaço de espaço-tempo o que não sei descrever… faço-o sem saber como mas sinto prazer… o gosto de dizer que queria dizer e não sei como dizer o que quisera talvez escrever… fico, no mínimo, a saber que haveria sempre algo para ser dito mas que, não o tendo sido, o pedaço de espaço-tempo não ficou vazio; afinal de contas, algo foi escrito…”

26/06/2005 Posted by | Diversos | | 12 comentários