Lobices

…meiguices de lobos e não só…

>descanso

>
.
Um óptimo fim de semana para todos e com todas as cores

28/04/2006 Posted by | Diversos | 28 comentários

descanso


.
Um óptimo fim de semana para todos e com todas as cores

28/04/2006 Posted by | Diversos | | 15 comentários

>cravos

>
.
Lembrar onde tudo aconteceu numa perspectiva das traseiras do Carmo

25/04/2006 Posted by | Diversos | 16 comentários

cravos


.
Lembrar onde tudo aconteceu numa perspectiva das traseiras do Carmo

25/04/2006 Posted by | Diversos | | 8 comentários

>sorriso

>
.
“… com esta bela imagem vos desejo um belo fim de semana…”

21/04/2006 Posted by | Diversos | 14 comentários

sorriso


.
“… com esta bela imagem vos desejo um belo fim de semana…”

21/04/2006 Posted by | Diversos | | 7 comentários

>carta a meu pai

>

“…faz hoje 20 anos que partiste… Estás noutro local, um local para onde foste, um local de sossego, de paz, não é ?… Tenho saudades tuas, pai !… Lembras-te do dia em que nos disseste até breve ?… Lembras-te dos dias em que sempre estiveste a nosso lado, lembras-te de tudo de bom que se passou antes de ires, lembras-te de tudo de mau que se passou antes de ires ?… Recordas o dia em que eu nasci, recordas o dia em que passaste ao estatuto de pai ?… Sei perfeitamente que te recordas e que só por isso te valeu a pena viver; sei que viveste em função dos teus, daqueles que faziam parte da tua própria vida, daqueles que eram a razão da tua existência!… Sei muito bem o quanto sofreste por mim e por todos os teus; sei perfeitamente o quanto lutaste para que nada me faltasse, para que tudo estivesse sempre bem… Lembras-te do dia em que te faltou algo para que eu não sentisse essa falta ?… Lembras-te do dia em que não comeste para que eu tivesse comida ?… Lembras-te do dia em que poupaste nos cigarritos para que eu tivesse dinheiro para o meu tabaco ?… Lembras-te do dia em que tiveste de pedir a um amigo para teres dinheiro para mim ?… Lembras-te do dia, de todos os dias da tua vida em que passaste mal para que em todos os dias da minha vida eu passasse bem ?… Lembras-te ?… Sei que te lembras e sei que sabes que tenho saudades tuas… um beijo para ti, pai!…”

20/04/2006 Posted by | Diversos | 26 comentários

carta a meu pai

“…faz hoje 20 anos que partiste… Estás noutro local, um local para onde foste, um local de sossego, de paz, não é ?… Tenho saudades tuas, pai !… Lembras-te do dia em que nos disseste até breve ?… Lembras-te dos dias em que sempre estiveste a nosso lado, lembras-te de tudo de bom que se passou antes de ires, lembras-te de tudo de mau que se passou antes de ires ?… Recordas o dia em que eu nasci, recordas o dia em que passaste ao estatuto de pai ?… Sei perfeitamente que te recordas e que só por isso te valeu a pena viver; sei que viveste em função dos teus, daqueles que faziam parte da tua própria vida, daqueles que eram a razão da tua existência!… Sei muito bem o quanto sofreste por mim e por todos os teus; sei perfeitamente o quanto lutaste para que nada me faltasse, para que tudo estivesse sempre bem… Lembras-te do dia em que te faltou algo para que eu não sentisse essa falta ?… Lembras-te do dia em que não comeste para que eu tivesse comida ?… Lembras-te do dia em que poupaste nos cigarritos para que eu tivesse dinheiro para o meu tabaco ?… Lembras-te do dia em que tiveste de pedir a um amigo para teres dinheiro para mim ?… Lembras-te do dia, de todos os dias da tua vida em que passaste mal para que em todos os dias da minha vida eu passasse bem ?… Lembras-te ?… Sei que te lembras e sei que sabes que tenho saudades tuas… um beijo para ti, pai!…”

20/04/2006 Posted by | Diversos | | 13 comentários

>a todo o momento

>

“… queria dizer-te, doce rosa doce, palavras que nunca dantes tivessem sido ditas, ou quanto mais não fosse, escritas… queria dizer-te tudo o que queria poder dizer, gritar, falar, dizer ou escrever palavras e torná-las vivas… queria poder mas, por não saber ou não conseguir, deixo-te aqui no meu sorrir, o desejo de te dar um beijo com ternura e todo o carinho… queria poder tocar em ti e deixar, no todo que tu és, este sabor a tanto amar…”
(photo from: Corbis. Inc)

16/04/2006 Posted by | Diversos | 22 comentários

a todo o momento

“… queria dizer-te, doce rosa doce, palavras que nunca dantes tivessem sido ditas, ou quanto mais não fosse, escritas… queria dizer-te tudo o que queria poder dizer, gritar, falar, dizer ou escrever palavras e torná-las vivas… queria poder mas, por não saber ou não conseguir, deixo-te aqui no meu sorrir, o desejo de te dar um beijo com ternura e todo o carinho… queria poder tocar em ti e deixar, no todo que tu és, este sabor a tanto amar…”
(photo from: Corbis. Inc)

15/04/2006 Posted by | Diversos | | 12 comentários

>vida

>
“… em vez do sofrimento e da morte, celebrem a alegria da vida; são estes os meus votos de uma Páscoa Feliz para todos vós…”

13/04/2006 Posted by | Diversos | 42 comentários

vida


“… em vez do sofrimento e da morte, celebrem a alegria da vida; são estes os meus votos de uma Páscoa Feliz para todos vós…”

13/04/2006 Posted by | Diversos | | 21 comentários

>moldura

>

“… na verdade, esta moldura é a minha prisão… de tão perfeitos traços me retrataste que me sinto afogada neles como se eles fossem a minha própria alma, o cerne do amor que nos inundava enquanto a vida me era dada para viver… lembras-te, meu amor, de todas aquelas cartas que te escrevi enquanto presa dentro de outras grades, linhas estreitas que me afastavam de ti ou que te afastaram de mim… nunca soube o porquê e essa dúvida, que ainda hoje, aqui de cima mantenho, será a minha companhia na eternidade… é ela também que me concede a possibilidade de te ver aí olhando-me aqui nesta parede nua, dentro de mim mesma vazia e tão prenhe de linhas com que me vestiste naquela manhã na cozinha no banco sentada, rindo-me da tua certeza… meu amor, a paz que me preenche não retira a dor que mantive e que comigo trouxe; a paz que me preenche é uma paz por amor a ti mas a dor essa jamais sairá de mim; é um pouco como eu nestes riscos presente na tua mente quando daí em baixo me olhas… resta-me a doçura da lágrima que vejo cair da tua face nesse chão carcomido pelo tempo que não nos foi concedido… dor de mim em teu peito também ele dorido…”

10/04/2006 Posted by | Diversos | 20 comentários

moldura

“… na verdade, esta moldura é a minha prisão… de tão perfeitos traços me retrataste que me sinto afogada neles como se eles fossem a minha própria alma, o cerne do amor que nos inundava enquanto a vida me era dada para viver… lembras-te, meu amor, de todas aquelas cartas que te escrevi enquanto presa dentro de outras grades, linhas estreitas que me afastavam de ti ou que te afastaram de mim… nunca soube o porquê e essa dúvida, que ainda hoje, aqui de cima mantenho, será a minha companhia na eternidade… é ela também que me concede a possibilidade de te ver aí olhando-me aqui nesta parede nua, dentro de mim mesma vazia e tão prenhe de linhas com que me vestiste naquela manhã na cozinha no banco sentada, rindo-me da tua certeza… meu amor, a paz que me preenche não retira a dor que mantive e que comigo trouxe; a paz que me preenche é uma paz por amor a ti mas a dor essa jamais sairá de mim; é um pouco como eu nestes riscos presente na tua mente quando daí em baixo me olhas… resta-me a doçura da lágrima que vejo cair da tua face nesse chão carcomido pelo tempo que não nos foi concedido… dor de mim em teu peito também ele dorido…”

09/04/2006 Posted by | Diversos | | 11 comentários

>colorir a vida

>
.
“…para todos, um bom fim de semana com as cores que o meu quintal e a natureza me brindam sempre, todos os dias…”

07/04/2006 Posted by | Diversos | 28 comentários

colorir a vida


.
“…para todos, um bom fim de semana com as cores que o meu quintal e a natureza me brindam sempre, todos os dias…”

06/04/2006 Posted by | Diversos | | 14 comentários

>quadro

>

“…olhavas-me de baixo e eu sentia-me como presa naquele quadro dependurado naquela parede nua… havias-me pintado, traço a traço, ruga a ruga com aquele lápis de cera preta com que fazias os teus gatafunhos… olhavas-me de baixo e eu sentia-me perdida no meio do teu olhar que não sabia ler, que não sabia entender… havias-me traçado a pele enrugada à volta dos olhos, nas faces, as próprias linhas do franzir habitual da minha testa… como me houveras pintado tão bem… ainda recordo aquela manhã em que sentada no banco da cozinha me havias pedido para posar para ti… ri-me como se pudesses fazer tal coisa… e, depois destes anos todos passados, em que regresso apenas em memória, olho-te de cima e vejo-te a olhar para mim daí de baixo, em pé nesse chão de tábuas rabugentas e bafiosas… olhas-me com um olhar parado, sem fulgor, apagado, mas olhas-me e recordas-me… só não consigo entender se me olhas por respeito se por amor… e a dúvida mantém-me presa dentro desta moldura…”

03/04/2006 Posted by | Diversos | 18 comentários

quadro

“…olhavas-me de baixo e eu sentia-me como presa naquele quadro dependurado naquela parede nua… havias-me pintado, traço a traço, ruga a ruga com aquele lápis de cera preta com que fazias os teus gatafunhos… olhavas-me de baixo e eu sentia-me perdida no meio do teu olhar que não sabia ler, que não sabia entender… havias-me traçado a pele enrugada à volta dos olhos, nas faces, as próprias linhas do franzir habitual da minha testa… como me houveras pintado tão bem… ainda recordo aquela manhã em que sentada no banco da cozinha me havias pedido para posar para ti… ri-me como se pudesses fazer tal coisa… e, depois destes anos todos passados, em que regresso apenas em memória, olho-te de cima e vejo-te a olhar para mim daí de baixo, em pé nesse chão de tábuas rabugentas e bafiosas… olhas-me com um olhar parado, sem fulgor, apagado, mas olhas-me e recordas-me… só não consigo entender se me olhas por respeito se por amor… e a dúvida mantém-me presa dentro desta moldura…”

03/04/2006 Posted by | Diversos | | 9 comentários