Lobices

…meiguices de lobos e não só…

>o meu caminho

>“… interrogamo-nos a todo o momento sobre o porquê de certo facto que nos surge ou nos acontece… indagamo-nos sobre o seu possível significado ou sobre o que, porventura, possa querer dizer ou, na maior parte das vezes, de nada valerem ou terem o desejo de serem mensagens ou sussurros do nosso consciente ou mesmo, quiçá, do nosso subconsciente… mas existem factores aleatórios (e outros não) que nos passam pela vida, pela nossa frente, ao nosso lado e não os vemos, nem os sentimos ou apenas não lhe damos valor… e, como se costuma dizer depois: aconteceu porque tinha de acontecer… verdade, talvez… talvez, na verdade, as coisas aconteçam porque têm mesmo de acontecer… o karma, o destino, o fado, sei lá que mais, tantas e tantas desculpas para não aceitarmos que as coisas estão ali ao nosso lado ou à nossa frente porque apenas e tão só fazem parte de nós mesmos… ou, por outro lado, nós fazemos parte delas, num só Ser, num só Estar, numa só Unidade… o mesmo se passa com o Amor ou com o Amar (coisas diferentes, como já o tenho dito várias vezes)… ele, o Amor ou ele o acto de Amar, estão presentes no nosso dia a dia, ao nosso lado, à nossa frente e, tantas e tantas vezes não o vemos (ou não o queremos ver)… então, se se estiver atento, sentimos a presença dele, do Amor porque mesmo que não perto de nós, não ao nosso lado ou nem à nossa frente, o Amor está connosco, dentro de nós… e é ele que, saindo de dentro de nós se transforma na mais pura forma de se estar na vida que é Amar… é esse estado que eu vivo a todo o momento, é por isso que o sinto dentro de mim, que o tento dar-te num gesto, numa palavra, num ouvir-te, num toque, numa forma qualquer que te faça saber que o meu Amor existe, que é puro e que é a única forma que tenho de viver… vivo para Amar, para te amar porque esse é o meu caminho para o teu amor por mim…”

03/04/2008 Posted by | amar | 2 comentários

o meu caminho

“… interrogamo-nos a todo o momento sobre o porquê de certo facto que nos surge ou nos acontece… indagamo-nos sobre o seu possível significado ou sobre o que, porventura, possa querer dizer ou, na maior parte das vezes, de nada valerem ou terem o desejo de serem mensagens ou sussurros do nosso consciente ou mesmo, quiçá, do nosso subconsciente… mas existem factores aleatórios (e outros não) que nos passam pela vida, pela nossa frente, ao nosso lado e não os vemos, nem os sentimos ou apenas não lhe damos valor… e, como se costuma dizer depois: aconteceu porque tinha de acontecer… verdade, talvez… talvez, na verdade, as coisas aconteçam porque têm mesmo de acontecer… o karma, o destino, o fado, sei lá que mais, tantas e tantas desculpas para não aceitarmos que as coisas estão ali ao nosso lado ou à nossa frente porque apenas e tão só fazem parte de nós mesmos… ou, por outro lado, nós fazemos parte delas, num só Ser, num só Estar, numa só Unidade… o mesmo se passa com o Amor ou com o Amar (coisas diferentes, como já o tenho dito várias vezes)… ele, o Amor ou ele o acto de Amar, estão presentes no nosso dia a dia, ao nosso lado, à nossa frente e, tantas e tantas vezes não o vemos (ou não o queremos ver)… então, se se estiver atento, sentimos a presença dele, do Amor porque mesmo que não perto de nós, não ao nosso lado ou nem à nossa frente, o Amor está connosco, dentro de nós… e é ele que, saindo de dentro de nós se transforma na mais pura forma de se estar na vida que é Amar… é esse estado que eu vivo a todo o momento, é por isso que o sinto dentro de mim, que o tento dar-te num gesto, numa palavra, num ouvir-te, num toque, numa forma qualquer que te faça saber que o meu Amor existe, que é puro e que é a única forma que tenho de viver… vivo para Amar, para te amar porque esse é o meu caminho para o teu amor por mim…”

03/04/2008 Posted by | amar | 2 comentários