Lobices

…meiguices de lobos e não só…

Mundo novo

“…na verdade, a net é um mundo novo, curioso, cativante e diferente… é também doce mas, ao mesmo tempo, perigoso… perigoso porque os sentimentos podem ser “adulterados” na sua essência e serem mal compreendidos… não devemos descurar o mundo “lá de fora”, o mundo real, aquele que vivemos de verdade e na verdade… é certo, que aqui, através do anonimato deixamos que os nossos medos se transformem em coragens e os nossos gritos possam ser gritados bem lá do fundo da nossa Alma… este mundo serve para exorcizar os nossos “demónios”, mas serve também para encontrarmos novos demónios e novos anjos… o problema está sempre em saber o que é um anjo e o que é um demónio (tudo em sentido figurado, claro)… eu escolhi uma forma de estar aqui, a de dizer apenas… a de ouvir apenas… a de tentar ajudar apenas… a de responder apenas… a de querer que todos me leiam e me ouçam apenas… a de desejar tudo de bom para todos apenas… e este “apenas” já é muito neste mundo… deixamos aqui impressa a nossa marca de ser que vive e que ri e que chora… deixamos aqui impressa a nossa marca de ser que é e de ser que não é… deixamos aqui impressa a nossa marca de ser o que sempre desejamos ser e não o que somos afinal… é um pouco uma peça de teatro sem actores visíveis… Às vezes, estes actores encontram-se e criam-se novas vivências… umas vezes é bom, outras não… umas vezes é um doce, outras vezes é um amargo sabor… daí que, eu seja uma “personagem”… uma segunda personalidade de alguém que também anda por estas bandas sob outro nick… talvez o outro lado desse alguém que sabe o que é a vida e o que ela pode dar ou tirar… de alguém que já não pretende nada mais do que tentar compreender exactamente o que está cá a fazer… esse que, no fim, quererá “achar ter entendido”… os problemas de que se fala são problemas perante os quais nada podemos fazer… apenas podemos dar amor e querer amor… o  caminho (seja de quem for) é para ser percorrido… seja que caminho for; não o podemos alterar nunca…  a meta existe mas nunca sabemos qual é… o caminho é muito diverso mas tem de ser palmilhado… deixemos que todos palmilhem a rota que escolherem… não tentemos que a vida seja perfeita… aceitemos a vida tal como ela é… não se consegue alterar o que quer que seja… ela está já “escrita”, não um destino escrito mas o caminho para lá está… as “coisas” não são nunca “obtidas”… as “coisas” são-nos “entregues”… saibamos viver o que a vida nos dá, da forma que ela nos dá, da forma como ela se nos entrega de braços abertos… mergulhemos de alma e coração na caminhada que temos pela frente e esperemos que a “perfeição” esteja no caminhar e não no caminho que se percorre ou na meta que se alcança…”

07/08/2009 Posted by | Diversos | 1 Comentário